Manaus/AM

O maior festival de investimentos de impacto e negócios sustentáveis da Amazônia

Foto: Michael Swan| Flickr

De 29 a 30 de novembro, Manaus, capital do estado do Amazonas, sedia a segunda edição do Festival de Investimento de Impacto e Negócios Sustentáveis da Amazônia.

Empreendedores, investidores, organizações da sociedade civil e outros atores que integram o ecossistema de impacto na região estarão juntos para debater caminhos, oportunidades e desafios para o desenvolvimento do ecossistema de impacto amazônico, a bioeconomia e o futuro da maior floresta tropical do planeta.

O Festival

O evento, bianual, foi realizado pela primeira vez em 2018, mas a pandemia da covid-19 adiou a segunda edição, que agora acontece em caráter presencial.

O objetivo do Festival, promovido pelo Idesam, AMAZ aceleradora de impacto e Impact HUB Manaus, é consolidar o evento como um ponto de encontro para investimentos de impacto e desenvolvimento de negócios sustentáveis na Amazônia.

A programação do 2º FIINSA será composta por seis trilhas: Investimentos de impacto; Pesquisa, desenvolvimento e inovação; Governo e negócios de impacto; Bioeconomia na Amazônia; Negócios comunitários e Ferramentas para impacto.

Completam a programação oficinas temáticas, lançamento de projetos, sessões de pitch, feira de negócios, mercado com produtos sustentáveis da Amazônia, rodadas de negócio e investimento e stands de parceiros.

A primeira edição do evento reuniu 252 pessoas e mobilizou 64 palestrantes e moderadores, cinco painéis principais e 12 paralelos. Foram investidos R$ 1,1 milhão em quatro negócios de impacto durante a rodada de investimentos.

Palestrantes confirmados

Líder maior do Povo Paiter Surui

Fernando Russo

MERAKI IMPACT

Guilherme Leal

NATURA

Núcleo de jornalismo de negócios da Editora Globo

Cadastre-se aqui para receber informações em primeira mão

Our Pricing

Buy tickets

Morbi purus libero, faucibus adipiscing, commodo quis, gravida id, est. Sed lectus. Praesent elementum hendrerit tortor. Sed semper lorem at felis. Vestibulum volutpat, lacus a ultrices sagittis, mi neque euismod dui, eu pulvinar.

Realização:

Correalização:

Parceiros estratégicos:

Patrocínio:

Almir Suruí

Almir Narayamoga Surui, filho do Lider do clã Gamebey, Marimop Surui e Weytã Surui, nasceu na Terra Indígena Sete de Setembro no município de Cacoal, Rondônia, Brasil. Pertencente ao clã Gamebey, clã de guerreiros que historicamente tem a função de criar estratégias e liderar iniciativas para benefício do Povo, desde cedo percebia a necessidade de lutar e defender no diálogo as necessidades dos Povos Indígenas, a qualidade de vida digna. Aceitou o convite da Universidade Católica de Goiás para estudo no Curso de Biologia Aplicada, onde aprendeu como conviver com outra cultura e como poderia aproveitar dos conhecimentos adquiridos para promover o desenvolvimento planejado e sustentável da Terra Indígenas Sete de Setembro e garantir o bem estar para os Paiter. 

Atuou junto com outras lideranças Paiter Surui na Associação Metareilá do Povo Indígena Surui. Dirigiu o departamento Etnoambiental da COIAB – Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira. Em 2007 é eleito conselheiro do CNPI – Conselho Nacional de Política Indigenista.

Publicou importante artigo sobre os índios isolados no livro:” Pueblos Indigenas em Aislamiento Voluntario Y Contacto Inicial Em La Amazonia Y El Gran Chaco”,IWGA, Copenhague, Dinamarca, 2007, onde demonstra a situação dos índios isolados de Rondônia e faz uma série de propostas para a proteção destes povos.

Esteve na Suíça a convite da ong Aquaverde e viajou por vários países da Europa, onde participou de uma série de Conferências sobre a situação de pressão e ameaça em que vive a floresta amazônica e em especial as terras indígenas. Após muitas participações em conferências, conselhos, reuniões nacionais e internacionais, Almir Suruí brilha na reunião da COP 15 em Copenhagen, ao apresentar o Projeto de Carbono Suruí, que ganha o Prêmio Maia Lin, e durante sua conferência trata de forma séria e comprometida a questão do equilíbrio climático.

Recebeu o Prêmio de Direitos Humanos de 2008 da Sociedade Internacional de Direitos Humanos em Genebra.

Abriu a possibilidade para os povos indígenas de todo mundo negociarem projetos no contexto do mecanismo REDD (Redução das emissões por desmatamento e degradação) que vão permitir a todos estes povos, a gestão sustentável de suas terras no que concerne a sua economia, cultura e natureza.

Em 2011, Almir foi nomeado como uma das 100 pessoas mais criativas do mundo pela Fast Company, a marca líder de mídia progressista do mundo que se concentra em inovação e liderança. Recebeu o título de Doutor Honoris aos 38 anos de idade, pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir). Em 2013, foi um dos cinco homenageados pela ONU, no Prêmio ‘Herói da Floresta’ no Fórum das Nações Unidas sobre Florestas. Em 2016, junto com os parceiros Clarins e à Fundação Caudalie, a PUR Projet que também começou a dar apoio financeiro e técnico ao povo Paiter Suruí, contribuindo para o plantio de 45 mil árvores entre 2017 e 2018.

Em 2020, para alertar sobre a destruição da Amazônia e seu impacto no ecossistema global, visita a França e o parlamento europeu. Em 2021, na FICE 2021, Almir Narayamoga Suruí é convidado para palestra e falar sobre a conexão com a Amazônia e a inovação na floresta. Neste ano Almir também é eleito na primeira eleição democrática do Povo Paiter Suruí o líder maior, governante dos Paiter e Território Sete de Setembro, além disso também foi escolhido para representar e ser coordenador executivo do “ParlaIndio” o Parlamento Indígena do Brasil.

Denis Minev

Denis Benchimol Minev é diretor-presidente da Bemol e co-fundador da Fundação Amazonas Sustentável, do Museu da Amazônia e da plataforma Parceiros Pela Amazônia.  Em 2012 foi selecionado Young Global Leader do Fórum Econômico Mundial. Denis serviu como Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Amazonas e como analista financeiro do Banco Goldman Sachs.  É formado em economia pela Stanford University, tem mestrado em Estudos Latino-Americanos também pela Stanford University e MBA pela Wharton School.

Fernando Russo

Fernando Russo é o fundador e gestor da Meraki Impact, um fundo de investimento de impacto na Holanda, focado em agricultura regenerativa e bioeconomia. Nos últimos seis anos fez mais de 30 investimentos com o objetivo de mudança sistêmica em agricultura e produção de alimentos.

Gustavo Tosello Pinheiro

Coordenador do Portfólio de Economia Carbono Zero no Instituto Clima e Sociedade, cofundador da Convergência pelo Brasil, Investidores Pelo Clima e do fundo de impacto Bratus Natural Capital. Membro do conselho da Amaz Aceleradora de Impacto e da Climate Ventures e membro do Grupo de Especialistas do Setor Financeiro (FSEG) para a Race to Zero e Race to Resilience da UNFCCC e do Painel Consultivo da Glasgow Financial Alliance for Net Zero (GFANZ). Colunista em Um Só Planeta.

Júlio Costa Leite

No setor público há 17 anos, trabalha há 12 anos no BNDES, onde atualmente é Superintendente da Área de Gestão Pública e Socioambiental atuando em temas como Saúde, Educação, Meio Ambiente, Segurança, Desenvolvimento Urbano entre outros.

Foi chefe do Departamento de Política e Planejamento Financeiro por 05 anos tendo atuado também na Área de Mercado de Capitais na gestão do portfólio da carteira da BNDESPar.

Anteriormente ao seu ingresso no BNDES, trabalhou na CVM entre os anos de 2005 a 2010 onde foi responsável pela análise, aprovação e acompanhamento de FIDCs, Fundos de Private Equity, Fundos de Venture Capital e Fundos Imobiliários.

Antes disso, trabalhou na iniciativa privada em empresas como Chevron Brasil de 2002 a 2005 e na Cia Brasileira de Petróleo Ipiranga de 1999 a 2002, tendo sido responsável por atividades na área de logística.

Formado em Engenharia Mecânica pela UFRJ com mestrado em Administração de Empresas pela PUC-RJ.

Mariano Cenamo

Mariano Cenamo é empreendedor social, cofundador do Idesam e CEO da AMAZ aceleradora de impacto. Engenheiro florestal, dedica sua carreira à busca por soluções inovadoras para conciliar o desenvolvimento socioeconômico e a conservação florestal na Amazônia.

Natalie Unterstell

Natalie Unterstell é presidente do Instituto Talanoa, cuja missão é contribuir para resolver a crise climática ainda nesta década, usando as ideias e as tecnologias do nosso tempo. Natalie também é membro do Painel de Acreditação do Fundo Climático Verde e foi negociadora do Brasil nos assuntos de mudança do clima na ONU durante cinco anos. Atuou em governos federal e estaduais, onde apoiou a construção de políticas públicas, incluindo o mais ambicioso programa de adaptação à mudança do clima já realizado no Brasil, o Brasil 2040, como diretora na SAE/Presidência da República. É co-fundadora e membro de diversos projetos e organizações, como a Política Por Inteiro, em parceria com a Folha de São Paulo. É membro dos conselhos do Sistema B Brasil, da SOS Mata Atlântica, do Instituto Centro de Vida (ICV), entre outros.

Patrícia Daros

Assistente Social com Mestrado em Movimentos Sociais e Processos de Trabalho pela UFRJ. Vem desde 2003 trabalhando com temáticas relacionadas a Sustentabilidade de Cidades e Territórios com implantação de iniciativas de Planejamento Estratégicos em mais de 35 municípios do Brasil. Foi Gerente do Trabalho Social do PAC nas comunidades da Rocinha, Complexo do Alemão e Complexo de Manguinhos com o desenvolvimento e implantação metodologias de Planejamento Estratégico. Está na Vale desde 2011 onde já liderou equipes no tema de Planejamento Ambiental, além de processos relacionados à recuperação de áreas degradadas, fechamento de mina e áreas protegidas. Atualmente é a responsável pela Gerência de Soluções Baseadas na Natureza da Vale, estando a frente da gestão dos três principais ativos socioambientais da empresa: Instituto Tecnológico Vale – Desenvolvimento Sustentável com foco em pesquisa científica da biodiversidade amazônica; Reserva Natural Vale com foco na conservação de 23 mil hectares de Mata Atlântica, e o Fundo Vale com foco em fomento e investimentos de negócios de impacto socioambiental, além de ser a liderança responsável pela temática de Biodiversidade e Meta Florestal da Vale.

Rita Mesquita

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985), mestrado em Biologia (Ecologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1989) e doutorado em Ecologia de Ecossistemas pelo Institute of Ecology – University of Georgia (1995). E pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Manejo de Áreas Degradadas, atuando principalmente nos seguintes temas: dinâmica da vegetação secundária, fragmentação florestal rural e urbana, regeneração florestal e agroflorestal, conservação de biodiversidade e gestão ambiental. Entre 2004 e 2008 foi secretária adjunta de gestão ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas. Ali coordenou trabalhos de criação e implantação de unidades de conservação, o zoneamento econômico ecológico, e a formulação de legislação sobre gestão ambiental. Entre 2008 e 2012 foi uma das coordenadoras do Jardim Botânico de Manaus e Diretora Técnica do Museu da Amazônia. Foi coordenadora do Programa de Mestrado Profissional em Gestão de Áreas Protegidas da Amazônia – MPGAP – do INPA entre 2010-2016. Atualmente tem se dedicado à divulgação científica, extensão rural e popularização da ciência, na Coordenação de Extensão do INPA.

Samela Sateré Mawé

Indígena do povo Sateré Mawé, estudante de Biologia na Universidade do Estado do Amazonas, ativista ambiental no @fridaysforfuturebrasil, jovem comunicadora na Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) @apiboficial, e da ANMIGA- Articulação Nacional das Mulheres Indígenas Guerreiras da Ancestralidade @anmigaorg e apresentadora no @canalreload 

Além de integrar a Associação de Mulheres Indígenas Sateré Mawé (Amism) @amism_sateremawe e o Movimento de Estudantes Indígenas do Amazonas (Meiam).

Creator pelo clima pelo NOSSAS, ( @_nossas ) e Fellow pelo Instituto Arapyau membra de Uma concertação pela Amazônia (@concertacaoamazonia).

Sandra Boccia

Sandra Boccia – Diretora do núcleo de jornalismo de negócios da Editora Globo. Estão sob sua responsabilidade editorial as marcas Um Só Planeta, Época Negócios, Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Auto Esporte e Globo Rural, nas plataformas físicas (revistas, anuários e eventos) e digitais (sites, newsletters, podcasts e redes sociais).

TEDx Speaker e colunista da rádio CBN, nos últimos anos participou dos principais eventos de inovação e empreendedorismo do mundo, como SXSW, WebSummit, Vivatech e C2. Escolhida entre 30 jornalistas do mundo pela Fundação Jornalistas na Europa, de Paris, estudou empreendedorismo no programa Ignite, da Escola de Negócios da Universidade de Stanford; e negócios digitais no IMD, de Lausanne, Suíça. Ao longo da carreira, publicou reportagens sobre mais de 40 países e lançou projetos como 100StartupstoWatch e o Festival de Inovação e Cultura Empreendedora (FICE). Em 2020, foi apontada como um dos 50 jornalistas de economia e negócios mais admirados do país. Em 2021, idealizou e lançou a plataforma de jornalismo digital #UmSóPlaneta, para enfrentar a crise climática.

Vanessa Adachi

Vanessa Adachi é cofundadora e editora-chefe da Reset, um veículo digital e independente que cobre ESG e investimentos e negócios de impacto. Ela tem mais de 25 anos de experiência cobrindo negócios e finanças. Foi editora executiva do Valor Econômico, após atuar como editora financeira e repórter especial. Antes disso, trabalhou na Folha de S. Paulo, Gazeta Mercantil e Editora Abril. É jornalista formada pela Escola de Comunicações e Artes da USP, com MBA em Finanças, Comunicação e Relações com Investidores.

Virgílio Viana

Virgilio Viana é engenheiro florestal, com PhD em Biologia Evolutiva pela Universidade de Harvard e pós-doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade da Flórida. Foi professor do Departamento de Ciências Florestais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP) de 1989 a 2003 e professor colaborador da pós-graduação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Entre 2003 e 2008, foi o primeiro Secretário de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas.  

Atualmente, é superintendente geral da Fundação Amazônia Sustentável (FAS); coordenador da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável – Amazônia (SDSN), uma iniciativa da ONU; membro ordinário da Pontifícia Academia de Ciências Sociais do Vaticano; presidente do Conselho de Administração da Aliança para a Bioeconomia da Amazônia (Abio); idealizador da Aliança Covid Amazônia; membro fundador do Instituto Amigos da Amazônia; e professor associado da Fundação Dom Cabral.

Obrigado!

Em breve você passará a receber informações sobre o Festival.